Ultrassom microfocado: menos flacidez e alcance profundo

Para solucionar esse problema existem várias opções e técnicas menos invasivas que são bastante procuradas nos consultórios de dermatologia. Uma delas é ultrassom microfocado, procedimento não-cirúrgico aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo a médica dermatologista Paula Azevedo, essa é uma tecnologia que trata a flacidez e traz melhoria para as profundidades do tecido.

O aparelho permite realizar zonas de coagulação nos tecidos profundos da pele e na camada muscular. O estímulo acontece pelo aquecimento em diferentes profundidades da pele, tratando assim não só a parte muscular, mas toda parte dérmica. É possível tratar áreas com face, pescoço e até pálpebras. Uma das vantagens do ultrassom microfocado é que ele permite tratar, na mesma sessão, diferentes níveis de profundidade. Isso proporciona uma melhora considerável e progressiva da flacidez. Pode-se ver diferença na pele logo após o procedimento, contudo, depois de 90 dias do início do tratamento a melhora é ainda mais significativos.

O resultado consiste na contração da pele e dos músculos, proporcionando efeito de lifting não-cirúrgico da face e do pescoço e a melhora considerável do contorno facial e da papada. As sessões duram em média uma hora e são recomendadas para qualquer pessoa que esteja incomodada com a flacidez. As contraindicações são mulheres grávidas e pessoas com infecções locais e algumas doenças do colágeno. Por isso é preciso consultar um médico dermatologista antes de iniciar qualquer procedimento, seja estético ou reparador.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags

AGENDE SUA AVALIAÇÃO

Basta um clique

ENDEREÇO

Rua 15, 1340,

Setor Marista

Goiânia - GO

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

Seg a Sex: 7h - 18h

  • Instagram Fêmina Estética
  • Facebook Fêmina Estética

© 2018 por Fêmina

Clínica de Estética